terça-feira

Seguindo em frente.

Hoje o dia é de sol, contrariando toda a lógica terçaferiana de inverno.
Acordei bem cedo. Fumo um cigarro e tomo uma caneca de café solúvel. Não uso a minha caneca predileta, a preta, pois ela sumiu. Furtada por algum gnomo ou apenas esquecida por mim, em algum canto obscuro da casa.
Lembrei-me dos velhos tempos de espelho/confessionário. Tempos em que eu me perguntava sobre a vida e quais as razões da vida. Tempo em que eu era confuso. Tempo em que eu não era eu.
Acredito ter acordado. Renascido de alguma forma. Me libertado de um sonho torpe, sabe-se lá como.
Voltei a organizar minha vida sem palpites alheios. Isso, de uma forma ou de outra, sempre me atrapalhou.
Soube que Agosto era o mês das transformações e que por isso, seria um periodo terrível. Bem, não pra mim. Encaro como uma época de transição total. E tudo o que muda ou se transforma é bom. Agosto já é amanhã. E então?
O meu coração está a mil por hora. Não tenho mais medo e nem dúvidas quanto ao que fazer.
Está tudo certo. Vou em frente, na contra mão. Agora, sem parar.
"Eu me aventuro sempre. Entro em todos os palcos".

Hoje, enlouquecendo com os gritos de The Darkness.

C.

6 comentários:

.Profusion disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
.Profusion disse...

Entrei em uma fase boa tb.. me despreguei de todas as infelicidades da minha alma...

to boba! :)

P.s. Vou cobrar direitos autorais da minha unha vermelha lá em cima

:)

teamo

.Profusion disse...

Florbela anda me dizendo tantas coisas ultimamente...

teamo

.Profusion disse...

Meu bem,

Fique sabendo que recíproco sim, sempre será. Quando nos encontramos pela primeira vez sabia que você seria meu amigo, amigo de verdade, desses que ficam pra vida toda.

Que lindo presente foi aquela mensagem...

teamo sempre

.Profusion disse...

Meu querido,

Viajo amanhã, vem aqui em casa hoje a tarde

te amo

Miss Dejavu disse...

Adorei o blog...
Aliás...descobri q lispectoriano és...=]
Adoro ela tb...=]

"Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender. Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras. Sinto que sou muito mais completa quando não entendo. Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito. O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco. Não demais: mas pelo menos entender que não entendo".( C. Lispector)