sexta-feira

Em busca do Sol.

Tentei disfarçar a angústia e maquiar meus anseios, mas não consegui.
Esta semana que se passou, foi reveladora e ao mesmo tempo libertadora.
Liberdade essa que me negava como forma de mutilação pessoal cruel e sem sentido.
É que eu estava manipulando minha existência de forma torpe.
Após ter passado pelo pior final de semana da minha vida, escutei a música Lilás, cantada por Djavan. E desde então o trecho “eu quero ver o pôr do sol, lindo como ele só...” não me sai da cabeça.
Pois é, foi exatamente em busca deste pôr do sol magnífico, que decidi me libertar.
Acho que esse é o meu tempo.
Tempo de escolhas, tempo de desejos, tempo de viver...
Percebi estar me anulando. A certeza se deu quando parei e analisei minha rotina.
Não quero abstrair meus sorrisos e nem minha espontaneidade. Não quero mais me acomodar em uma vida que não cabe a mim.
Desejo ser impulsivo, viver a todo vapor, escancarar minhas vontades, desejos e virtudes... Desejo ser livre!
Eu já não estava mais me reconhecendo.
As crises pessoais eram constantes. Não conseguia identificar de onde partiam as insatisfações ou simplesmente fechava os olhos para não enxergar a raiz e sentir ainda mais ódio de mim mesmo por aceitar viver desta forma.
Mais polianesco do que isso, impossível.
Hoje, encaro com mais maturidade a vida e respeito mais a minha existência.
Bem, é claro que não posso esquecer do velho clichê de que ‘pra cada ação, existe uma reação’.
Sim, vou ter que suportar as conseqüências dos meus atos. Mas como dizia um antigo provérbio: “A vitória só chega quando se perde o medo da derrota”, irei em frente em busca do meu Sol, sem medo.
Que se dane os outros, eu quero é viver.

C.Coga

Hoje ao som de Negro amor, Gal Costa.

4 comentários:

Ana Gotz disse...

Acho que combina com o post: "Para cada um de nós e - em algum momento perdido na vida - anuncia-se uma missão a cumprir? Recuso-me porém a qualquer misssão. Não cumpro nada: apenas vivo." [lispector]

P. disse...

ai..ai...todos em busca de um pôr do sol, e eu? nunca mais vi um, vamos fazer isso no sábado?

beijos

Moura ao Luar disse...

Vive, sê feliz porque ninguém pode lutar melhor por isso a nao ser tu

Henrique Fogli disse...

Gostei do texto e do blog!

Abraço!